Eu tenho 2 Amores


7.00 avg. rating (93% score) - 2 votes

Pois bem, o desafio, à laia de “dois amores e não sei de qual gosto mais”, pautou-se pela realização do test drive das novas CRF’s 1000 de 2018, que é como quem diz, experimentar a versão standard na valência caixa manual e DCT e a Big Tank, igualmente em ambas as valências. Para o efeito, tivemos a preciosa colaboração da Linhaway, que com grande disponibilidade nos garantiu as 4 motas. Um grande obrigado Miguel Pires, que para além das motas nos presenteou com uns bolinhos e uns croquetes ainda quentinhos que fizeram as delicias de quem os provou.

Mas como não há bela sem senão, na véspera do evento, uma das Big Tank teve um acidente, pelo que ficávamos reduzidos a 3 motos. O Valério Gonçalves resolveu o problema na hora. Trouxe a Big Tank dele, de Castelo Branco, para estar a horas do test drive e assim, disponibilizar a sua rainha para repor as 4 motas. Conhecendo o Valério, ficámos todos a rezar para que não houvessem radares no caminho entre Castelo Branco e Lisboa. Um grande obrigado também para ti, Valério.

Cerca das 14:00, hora prevista para o início do evento, chegou com pontualidade britânica o Carlos Barata, acompanhado do amigo Jaime Almeida. Logo a seguir, o Rui Buracas marcava a presença com a sua tricolor. Muitos outros se seguiram com as CRF’s de 2016-17 a perfilarem-se junto à Linhaway. O António Carrilho apareceu na sua VFR800 black beauty, dando descanso à sua tricolor, que no dia a seguir, conjuntamente com o Pedro Saragoça e o Filipe Guerra, ía percorrer a Serra d’Ossa, num último reconhecimento do passeio offroad de Évora do dia 19 de maio. O Elias Alves marcou com grande sonoridade a sua chegada com a XTZ 660 e outras mais apareceram: GS 1200, NC 750, … Nas vistas deu a AT do amigo João Roque, que veio da Madeira com a sua CRF adquirida há não muito tempo. Vinha artilhada com uma top case bem grande e com soft bags laterais da Lone Rider. Habituado às XR’s, lançou-se para uma montada de outra envergadura. Trabalhando neste momento na Síria no âmbito da Cruz Vermelha, prepara-se para uma grande viagem, numa primeira etapa rumo a Milão, onde deixará a mota enquanto regressa à Síria para mais uma temporada de trabalho, não sem antes realizar uma paragem em Valência para um curso offroad, cujos ensinamentos vão ser seguramente muito úteis. Seguir-se-ão mais etapas, com destino a Belgrado, sul da Grécia, Egipto e Síria, estando o resto por definir com mais precisão, mas que passará por uma incursão mais alargada pelo continente africano. Desejamos a melhor sorte para esta aventura de uma vida e contamos todos com notícias das boas.

O ambiente, já se estava mesmo a ver, era o de um conjunto de gente adulta que mais pareciam crianças. Os semblantes de sorriso rasgado e a fervorosa troca de opiniões não deixavam margem para dúvidas.

O objetivo do evento estava conseguido: experimentar as diferentes versões de caixa nas duas versões, standart e big tank, num só dia, partilhando a experiência com os admiradores da rainha. Bem diferente do que fazer um test ride em solitário e numa mota só. Mas atenção que não foram só admiradores. Também tivemos o prazer de receber admiradoras. A Daniela, companheira do Salime, não se furtou a experimentá-las e, pelo que pude observar pelo retrovisor da NC que abria o grupo, posso assegurar-vos que experimentou e bem. Com um indisfarçável rosto de contentamento e habituada à sua NC, concluiu que era “um pouco alta para mim”, disse ela no final.

E assim foi, com cada um retirando conclusões de acordo com as suas preferências e estaturas, destacando-se o José Brigas que, do alto da sua altura, ficava que nem ginjas na Big Tank! Pensamos que foi unânime a opinião de que a mota estava mais bem conseguida, com destaque para a resposta do motor, não desmerecendo obviamente os atributos da CRF de 2016-17. Talvez a inovação que mais nota deu de discórdia, foi a nova configuração do display. Nada que a habituação não resolva.

Ficam aqui alguns comentários, entre muitos que não conseguimos registar, tal era a frequência com que eram emitidos:

  • “O DCT nas reduções com aquela gazada pelo meio está fenomenal”
  • “Tem mais peito”
  • “Pois vocês estavam com um sorriso..”
  • “O Manuel parecia uma criança”
  • “Se fosse hoje o mais certo era comprar a Adventure Sports”
  • “Adorei o dct”
  • “Ele já está decidido….normal dakar”
  • “Reconheço a excelente obra de engenharia que é o dct e a mais valia para alguns utilizadores que o queiram utilizar”
  • “Mas o ronco da bixa é outra coisa”
  • “O que mais gostei foi das reduções. Bam Bam Bam! Música”
  • “Tem melhor resposta em rotação média”
  • “Gostei de todas. Adorei a posição de condução da big tank. Até chego com os pés ao chão”
  • “E a roda da frente levantou sem fazer cerimónia”
  • “Achei o display mau. Queria ver em que mudança estava e era difícil. É confuso. E a mudança é um número pequeno”

Para terminar, estava previsto o sorteio, em jeito de mimo, de uma T-Shirt do grupo para um dos presentes. Este sorteio acabou por não se realizar no meio da azáfama do test drive, até porque houve companheiros que tiveram de se ausentar mais cedo e outros chegaram mais tarde, pelo que não houve oportunidade de ter todo o grupo junto. Assim sendo e porque o prometido é devido, o staff realizou o sorteio e o felizardo contemplado foi o Jorge Désirat. Parabéns Jorge.

Vejam as fotos do nosso fotógrafo de serviço profissional, o Armando Polónia.

Obrigado a todos pelo convívio que proporcionaram, e até dia 19 de maio, por terras do Alentejo – Évora, onde o Tiago Silva e o Pedro Saragoça nos reservam um passeio que tem todos os ingredientes para ser memorável.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Francisco Rodrigues

Aos 18 anos não tinha carro e tinha uma 125cc. Dezasseis motas e mais de 40 anos depois ainda não tem carro, … mas já teve uma XRV e hoje tem uma CRF!